A relação Lumens X Watts: como funciona a iluminação LED

“Compre LED por Lumens, não por Watts!”

A iluminação LED está ganhando mais espaço na iluminação dos lares e estabelecimentos pelo Brasil. Tudo porque são conhecidas pela promessa de gastarem menos energia e durarem mais. Mas como saber se são realmente mais eficientes? Basta comparar os lumens e os watts.

Existem várias opções de lâmpadas LED. Para iluminar o ambiente adequadamente, é importante observar essas duas unidades de medida.

Toda lâmpada possui em sua embalagem as informações de watts e lumens, seja ela LED, incandescente, fluorescente. Para fazer a melhor escolha que cumpra o objetivo de iluminar e ainda tenha bom custo-benefício, é essencial observar esses dois números.

Para entender melhor, vamos explicar qual a diferença entre lumens e watts e como elas ajudam a escolher a melhor iluminação LED para as suas necessidades.

Watts e lumens: Qual a diferença?

Os Watts (W) são a unidade de medida mais conhecida quando falamos de iluminação. Não à toa, é comum as pessoas usarem este número como único indício da eficiência de uma lâmpada. Na realidade, é um número que está relacionado ao consumo de energia de um aparelho elétrico. Tanto que os Watts são usados em diversos outros equipamentos que não emitem luz, como por exemplo os secadores de cabelo, aparelhos de som, chuveiros, aspiradores de pó, dentre outros.

Basicamente, watts são a quantidade de energia que um dispositivo precisa para exercer sua função. No caso das lâmpadas, trata-se da unidade de medida responsável para ser capaz de emitir luz. Desta forma, os Watts de uma lâmpada não podem ser utilizados para estimar a sua luminosidade.

Por outro lado, lumen (Lm) é uma unidade de medida diretamente relacionada com a luz. Ele determina a quantidade de luz que o objeto consegue emitir em todas as direções, ou seja, o seu fluxo luminoso.

Em outras palavras, quanto mais lumens uma lâmpada tiver, maior a sua luminosidade e mais forte será sua iluminação. Vale lembrar que mais lumens não necessariamente é melhor em todos os casos. Por isso, deve-se saber como usar essas unidades de medida para fazer a sua decisão.

Como escolher a iluminação LED usando watts e lumens

Para definir qual a lâmpada iluminará melhor o ambiente, é preciso olhar a sua quantidade de lumens. Já para saber qual trará maior economia, observe os watts. Assim, é a união desses fatores que determina qual alternativa é a mais vantajosa.

Os valores variam conforme marca e produto, mas em geral, uma incandescente precisa de 60 watts para emitir cerca de 800 lumens, enquanto o LED chega nesse valor gastando 10 watts. Fica evidente o baixo consumo que as lâmpadas LED necessitam.

Outro critério que se deve considerar na escolha é a quantidade de luz necessária para iluminar o ambiente. Se escolher uma opção com muito lumens, a intensidade pode incomodar os olhos. Se optar por uma fraca demais, por ser mais barata, a luminosidade pode não ser o bastante.

Para isso, serve o cálculo da iluminância, a quantidade de lumens por metro quadrado. Uma sala de estar ou quarto precisam de uma luz geral mais “leve”, cerca de 50 a 100 lumens por metro quadrado. Por outro lado, escritório e cozinha podem usar luzes mais intensas, com 300 lumens por metro quadrado.